Plantio direto x convencional: conheça os prós e contras de cada procedimento

 
 
3 minutos para ler
 

Para realizar o plantio, primeiro é preciso definir um sistema planejado. Esse processo envolve um conjunto de procedimentos para o preparo do solo e otimização das condições de germinação da terra. Dentro desse processo, existem dois tipos de sistemas mais utilizados por produtores no campo: plantio direto x convencional. 

 

O sistema de plantio impacta diretamente a produção e, consequentemente, o faturamento no fim do mês. Por isso, é muito importante conhecer os tipos de manejo do solo para, assim, escolher a melhor opção para a lavoura.

 

Neste post, vamos explicar as diferenças entre esses dois principais sistemas e como eles influenciam a produtividade da agricultura. Continue a leitura!

 

 

Plantio direto x convencional

 

 

O solo é o principal fornecedor de nutrientes e energia para o desenvolvimento das sementes. Por isso, o preparo incorreto da terra pode prejudicar toda a colheita.

 

Para evitar prejuízos na produção, é fundamental que exista um sistema planejado de atividades integradas para o cultivo. Entre os mais comuns utilizados pelos agricultores estão o plantio direto e o convencional.

 

 

Plantio convencional

 

 

O plantio convencional usa técnicas tradicionais para o preparo do solo. É o sistema mais utilizado em hortas domésticas e lavouras comerciais. Nesses casos, o procedimento consiste na remoção de toda a vegetação do terreno, e a terra é revolvida por meio dos processos de aração e gradagem.

 

Essas técnicas são utilizadas para favorecer o crescimento das raízes das plantas. O plantio convencional aumenta a atividade de micro-organismos, gerando mineralização da matéria orgânica. O processo é importante para que os elementos naturais necessários para as sementes estejam mais presentes no solo.

 

Por outro lado, o revolvimento pode diminuir a fertilidade da terra e, normalmente, esse tipo de manejo necessita de manutenções mais frequentes durante o processo de cultivo. Devido ao uso de técnicas tradicionais para o preparo do terreno, como a utilização de tratores e adição de produtos químicos, o plantio convencional pode causar danos graves ao solo.

 

 

Plantio direto

 

 

O sistema de plantio direto utiliza restos da última colheita como matéria orgânica para adubar e enriquecer o solo de forma natural. Considerado um manejo mais saudável e sustentável, esse sistema melhora a estrutura da terra, aumenta a fertilidade e a atividade microbiana, controla a erosão e reduz a temperatura do solo. Além disso, o uso desse método economiza combustível, fertilizantes e mão de obra.

 

Para a implantação desse sistema, é preciso maior investimento em comparação com o convencional, já que é necessária a contratação de profissionais especializados e o uso de máquinas próprias. Porém, esse custo é compensado ao longo do tempo, visto que haverá diminuição considerável das perdas relativas às condições do solo.

 

Atualmente, as ferramentas para agricultura de precisão são muito importantes para garantir a produtividade e aumentar os lucros dos agricultores. Existem tecnologias no mercado que ajudam a investigar as condições variáveis do solo para definir a melhor estratégia de manejo a ser utilizada. Dessa forma, o produtor garante agilidade e precisão na hora da colheita.

 

Portanto, para colocar em prática da melhor maneira os procedimentos de manejo, é fundamental ter conhecimento e saber as diferenças entre planto direto x convencional. A escolha certa é fundamental para o sucesso da colheita, garantindo retorno financeiro.

 

 

Gostou do post? Assine a newsletter e receba gratuitamente nossos conteúdos com as principais notícias e novidades da agricultura.