Redução de custos na agricultura: descubra como fazer garantindo a qualidade

 
 
7 minutos para ler
 

O planejamento das atividades agrícolas é um trabalho duro a ser feito, pois exige cuidados essenciais na manutenção de uma boa saúde do solo e, consequentemente das plantas. Dessa forma, pensar em redução de custos na agricultura pode ser muito desafiador, pois é necessário manter a qualidade do seu cultivo, garantindo assim a sua comercialização.

 

Por sua vez, medidas como a realização de um bom planejamento e aproveitamento da tecnologia disponível, podem fazer uma grande diferença. Considere, por exemplo, a otimização do plantio com maior precisão na regulagem de sementes e fertilizantes.

 

Continue a leitura e descubra como fazer a redução de custos na agricultura garantindo a qualidade da produção.

 

 

Planeje suas operações

 

A principal iniciativa capaz de realizar uma grande redução de custos no agronegócio é o planejamento, que deve alcançar todos os aspectos da produção agrícola, desde sua instalação na propriedade. Assim, a partir da infraestrutura necessária, até as operações agrícolas, tudo precisa ser cuidadosamente planejado.

 

Nesse sentido, o produtor deve observar os seguintes aspectos, que podem ser levados em conta ao organizar as ações de sua atividade produtiva:

 

  • a infraestrutura para a produção;
  • a cultura a ser explorada;
  • a definição do escoamento da produção;
  • a área a ser cultivada;
  • a aquisição, a manutenção e a otimização do uso de máquinas e equipamentos indispensáveis;
  • a otimização da utilização de insumos agrícolas necessários;
  • o controle de horas de trabalho;
  • a infraestrutura e as despesas com logística.

 

Um bom planejamento baseado em dados precisos e fazendo uso de recursos tecnológicos, permite produzir com mais eficiência e menor custo. Com a tecnologia atualmente disponível para o campo, considere responder, em todas as situações, ao seguinte questionamento: como a tecnologia poderia ajudar?

 

 

Aprimore o plantio

 

As operações envolvidas no plantio constituem uma grande oportunidade para se buscar formas de redução de custos. Nesse sentido, considere as opções mostradas a seguir, referentes às formas de adubação e ao sistema de plantio propriamente.

 

 

Análise de solo

 

Uma análise de solo bem conduzida fornece informações indispensáveis para se promover a adequação das condições para o cultivo. Conhecendo as características do solo, sobretudo de acidez e fertilidade, pode-se promover a correção e adubação necessárias, sem excessos e sem o risco de subdimensionar a aplicação de fertilizantes.

 

 

Adubação

 

Com os resultados da análise de solo em mãos, é preciso avaliar as alternativas existentes para se proceder às adequações das condições físicas, químicas e biológicas do solo. Assim, além dos diversos tipos de fertilizantes, podem ser adotadas as seguintes soluções:

 

  • adubação verde;
  • adubação com composto orgânico;
  • adubação com esterco de curral;
  • adubação fosfatada.

 

Sistema de plantio

 

Levem em conta a possibilidade de adotar a técnica do plantio direto, em vez do sistema tradicional. Nesse caso, é possível evitar as operações de aração e gradagem, agregando as seguintes vantagens adicionais para o solo:

 

  • redução da temperatura (solo mais fresco);
  • manutenção de maior teor de umidade;
  • redução do impacto das gotas de chuva;
  • redução do escoamento superficial de águas pluviais.

 

 

Invista na automatização

 

O agronegócio vem recebendo as inovações da tecnologia como sensores, sistemas que facilitam o desligamento linha a linha, evitando sobreposição das plantas, assim como equipamentos para plantio em nível, entre outras. Ao mesmo tempo, um dos aspectos mais modernos que se apresentam atualmente em várias partes do mundo é a automatização no campo.

 

Nesse sentido, a tecnologia aplicada a processos contínuos está avançando, embora a amortização seja demorada, pois os investimentos iniciais ainda são elevados. Mas, em poucos anos, as máquinas automotrizes operarão em boa parte das médias e grandes propriedades.

 

 

Utilize um software especializado

 

A utilização de softwares no agronegócio já se consolidou como o melhor caminho para a gestão da propriedade. Assim, softwares de gestão são capazes de integrar todas as atividades realizadas no campo, desde as compras de insumos até o resultado da colheita.

 

Plataformas e aplicativos para esse fim são capazes de organizar e facilitar a condução dos trabalhos previstos no planejamento. O produtor deve pesquisar para encontrar aquele que é mais adequado à sua forma de gestão e às características de sua produção.

 

No entanto, o essencial é que o produtor consiga perceber o resultado na produtividade e no fechamento das contas. Perdas são reduzidas, ao mesmo tempo em que as operações que consomem insumos e grandes quantidades de horas de trabalho são acompanhadas mais de perto.

 

 

Diversifique as culturas

 

A diversificação com rotação de culturas permite, por exemplo, o aproveitamento da palhada e da adubação realizada na lavoura recém-colhida. O mesmo se dá com relação ao aproveitamento da calagem, anterior mesmo à adubação. Com isso, há produção com redução de custos.

 

Ao mesmo tempo, com a incorporação de novos produtos na entressafra, surge uma nova fonte de renda que reduzirá o custo relativo total. Dessa forma, serão mais produtos colocados no mercado, além da lavoura principal.

 

Para esse fim, é estratégico considerar essa diversificação sem grandes demandas de insumos no cultivo ou de frete na comercialização. A diversificação deve ser a partir de culturas que tenham mercado, mas com uma produção que seja simples e com um escoamento sem muitas complicações.

 

 

Otimize a irrigação

 

Os trabalhos tradicionais de irrigação da lavoura, de modo geral, consomem horas de equipamentos que requerem manutenção, combustível, eletricidade e, sobretudo, muita água. Diversas iniciativas podem otimizar esse trabalho e também constituem uma ajuda na redução de custos.

 

Considere, ainda, que determinados fatores, como as características de exigência de água da cultura, o clima da região, assim como a textura e outras características do solo, afetam diretamente a quantidade de trabalho com a irrigação. Desse modo, leve em conta as seguintes medidas que sejam aplicáveis à sua produção:

 

  • armazenamento de água da chuva;
  • implantação do cultivo em nível;
  • incorporação de matéria orgânica no solo;
  • utilização de telas nas áreas de agricultura intensiva;
  • adoção do sistema de irrigação por gotejamento;
  • utilização de água de reuso.

 

 

Implante a agricultura de precisão

 

A tecnologia utilizada na agricultura de precisão permite a máxima otimização de recursos, com grande economia de insumos e de horas de trabalho. Ao analisar as demandas reais e localizá-las, muitas operações são realizadas apenas em áreas restritas, em vez de fazê-lo em toda a área cultivada.

 

Assim, por exemplo, sensores identificam a demanda por umidade em uma determinada área. Essa área pode ser atendida sem que seja necessário irrigar toda a propriedade cultivada. O mesmo se dá com a identificação de reboleiras atacadas por pragas e doenças ou por deficiências nutricionais.

 

Como se viu, a tecnologia é a grande parceira do produtor, especialmente no que se refere à redução de custos na agricultura com a otimização do uso dos principais insumos, como sementes, fertilizantes e defensivos agrícolas.

 

 

Gostou das informações do artigo? Então, que tal curtir a nossa página no Facebook? Assim, você poderá acompanhar as nossas postagens.