Agricultura 4.0: entenda o que é e como se adaptar a ela

 
 
 
9 minutos para ler
 
 

Quando a tecnologia abre a porteira e avança campo adentro, muita coisa pode mudar para melhor. Notebooks, tablets e celulares integrados com as máquinas e equipamentos da propriedade constituem uma nova forma do trabalho rural: a agricultura 4.0.

 

As mudanças são significativas e requerem diversos ajustes nas rotinas, mas valem muito a pena. Os benefícios logo aparecem, o controle fica mais preciso e as possibilidades de melhores resultados na lavoura são animadoras.

 

Continue a leitura do post e entenda o que é a agricultura 4.0 e como se adaptar a ela!

 

 

O que é a agricultura 4.0?

 

Agricultura 4.0 se refere à condução das atividades do agronegócio fazendo uso de tecnologia digital de modo integrado. Isso amplia as possibilidades do produtor, pois ele começa a dispor, por exemplo, de inúmeros aspectos da atividade agrícola na tela de seu tablet ou celular.

 

Na verdade, uma das principais características dessa revolução no campo é a utilização de softwares de gestão. Esses sistemas viabilizam a integração das principais unidades de produção e colocam toda a propriedade na palma da mão.

 

Essa nova forma de conduzir as operações do agronegócio é o resultado da evolução natural da administração rural. As fazendas modernas constituem polos produtivos organizados, como qualquer empresa de sucesso — se faltava tecnologia digital, há algum tempo, já não falta mais.

 

 

Quais as principais mudanças que trouxe?

 

A tradicional forma de pensar a produção rural está dando espaço a novos conceitos e introduzindo uma cultura diferente no campo. O jovem produtor já apresenta bastante intimidade com o mundo informatizado e com as facilidades tecnológicas.

 

Assim, inúmeras iniciativas, antes impensáveis, agora já fazem parte da rotina dos trabalhos. Por exemplo, o mapeamento georreferenciado da propriedade permite situar qualquer ponto e obter informações precisas e imediatas.

 

Dessa forma, o planejamento de toda a produção pode ser delineado e acompanhado ao longo das diversas fases da cultura. Do mesmo modo, condições de solo e umidade, existência de falhas na lavoura ou a ocorrência de pragas podem ser mapeadas e mais precisamente avaliadas.

 

Com isso, a forma de planejar a produção, a eficiência e os resultados esperados mudaram para melhor. Ao mesmo tempo, as possibilidades se ampliaram e o produtor pode acompanhar todo o andamento dos trabalhos de qualquer lugar em que esteja.

 

 

Quais os impactos da tecnologia no campo?

 

A presença da tecnologia requer capacitação para sua utilização. O melhor aproveitamento que se pode ter de todo equipamento resulta da qualidade de sua utilização.

 

Assim, de imediato, a tecnologia digital trouxe um universo novo de conhecimentos para o campo, dos quais o produtor precisa se apropriar. O mesmo ocorre com as máquinas de cultura — cultivadoras, plantadeiras e colheitadeiras — conduzidas por sistemas de automatização.

 

Além disso, a gestão dos recursos financeiros pode ser totalmente controlada, dispondo-se de visualização rápida e fácil dos custos de cada atividade. Ao mesmo tempo, os sistemas de gestão permitem fazer previsões da produção e avaliar o desempenho de cada setor produtivo.

 

Os sistemas disponíveis possibilitam, por exemplo, saber da situação dos insumos e dos estoques a partir do próprio celular do produtor. Todo esse universo de possibilidades que constitui o mundo da agricultura 4.0 mudou sensivelmente a maneira de se fazer a gestão da propriedade.

 

O que já está em uso pela agricultura 4.0?

 

O movimento de evolução que gerou a agricultura 4.0 já começou há algum tempo. Assim, alguns dos instrumentos da nova tecnologia já estão em uso em diversas propriedades rurais. Destacamos alguns deles, a seguir.

 

Drones

 

São veículos aéreos controlados remotamente e que fazem interagir um computador, um sistema GPS e uma câmera. Como podem realizar sobrevoos bem precisos, são muito bons para mapeamento da propriedade, assim como para realizar vistorias na lavoura. São capazes de perceber praticamente tudo, como degradação do solo e falhas de germinação.

 

 

GPS agrícola

 

O sistema GPS aplicado ao campo permite grande precisão às operações. Sua evolução conduziu ao GNSS (Sistema de Navegação Global por Satélite), com inúmeras aplicações rurais. Entre elas, rastreamento de máquinas, localização de falhas e otimização das diversas tarefas de produção agrícola, além de inúmeras possibilidades de uso.

 

 

Softwares de gestão

 

Os softwares de gestão agrícola são as melhores ferramentas para o produtor administrar toda a sua propriedade. Do planejamento às análises de produtividade, passando pelo controle de estoque, tudo o que precisa ser gerenciado pode ser mais bem realizado com esses instrumentos de gestão.

 

 

Máquinas e equipamentos automatizados

 

Máquinas e equipamentos programados para operar sozinhos são conhecidos por “agribots” — ou robôs agrícolas. São máquinas agrícolas que podem operar 24 horas por dia e realizam tarefas extenuantes e contínuas, como o trabalho das colheitadeiras.

 

 

Sensores de produção

 

Os sensores agrícolas são capazes de detectar e medir variáveis importantes para a produção, como umidade do solo, temperatura e luminosidade, entre outras. Também conseguem controlar a altura dos pulverizadores mecanizados em razão de um possível desenvolvimento irregular da lavoura.

 

 

Quais os principais benefícios?

 

As mudanças trazidas pela agricultura 4.0 resultam em benefícios imediatos e futuros para o produtor. De maneira geral, podemos considerar como principais frutos positivos o aprimoramento da gestão da fazenda e a melhoria da produtividade, consolidando-se na apuração dos seus lucros.

 

 

Informação técnica para o produtor

 

As necessidades de informação técnica sobre a lavoura e ocorrências, assim como sobre as diversas práticas de cultivo, estão ao alcance imediato do produtor. Desse modo, por exemplo, a identificação de alguns sintomas de doenças ou pragas observados na lavoura pode facilmente ser obtida com o acervo que a tecnologia disponibiliza.

 

 

Mais dados sobre a propriedade

 

A tecnologia permite saber tudo o que se precisa dentro da fazenda. Assim, dados de chuvas, de umidade do solo, de temperatura e de germinação das sementes plantadas podem facilmente ser obtidos, tanto quanto a produtividade de cada talhão ou a quantidade de insumos armazenada.

 

 

Precisão

 

Além da amplitude e da quantidade de informações, os dados obtidos apresentam muito mais precisão, eliminando ou reduzindo os erros mais comuns de estimativas. Na verdade, com uma agricultura de precisão, o produtor poderá operar com mais certeza e elaborar previsões com mais probabilidade de confirmações.

 

 

Melhoria da eficiência

 

Com mais precisão e mais controle, a eficiência fica bem maior, sobretudo como resultado da redução de perdas. Tudo isso conduz ao melhor aproveitamento dos insumos e recursos em geral, resultando também em menores custos.

 

 

Melhoria da produtividade

 

Efeito direto do aprimoramento da eficiência alcançada, o crescimento da produtividade é o grande objetivo de todo produtor. Como há redução de custos de produção, o lucro melhora significativamente.

 

Depois de conhecer todos esses benefícios, considere sua implementação no dia a dia da fazenda. Leve em conta a importância de encontrar soluções para as suas necessidades e considere, entre outras:

 

  • levantar os principais pontos que podem ser melhorados;
  • identificar as tecnologias disponíveis;
  • contar com uma assessoria especializada.

 

 

Análise do clima

 

O clima é uma das principais variáveis que afetam diretamente a produtividade. Assim, a tecnologia disponível na palma da mão para garantir maior precisão no planejamento transformou as surpresas climáticas em acontecimentos praticamente agendados.

 

 

Como está a agricultura 4.0 no Brasil?

 

O setor rural brasileiro tem apresentado uma boa adesão às soluções digitais, com acelerado crescimento do uso da Internet, como revelam os dados do TIC Domicílios 2019. No entanto, o grande esforço que deve ser empreendido está na informatização das operações.

 

No Brasil, ainda é muito desuniforme a distribuição de serviços de telecomunicação para o campo, com regiões dispondo de muitos recursos e outras desguarnecidas. Nesse sentido, há uma forte demanda por infraestrutura de conexão virtual para viabilizar a utilização da tecnologia disponível.

 

Para as regiões onde as redes de banda larga já estão presentes, o futuro bate à porta. Inúmeras possibilidades se abrem para trabalhos online, com sensores integrados abastecendo os sistemas com dados que permitem uma gestão eficiente e eficaz para o produtor rural.

 

Em muitos casos, a propriedade já faz uso de tecnologia, mas em modo off line, isto é, as máquinas operam e, no final da jornada, dados são coletados e processados para o gerenciamento das operações de cultivo. Com a as redes de banda larga na fazenda, muito mais recursos estarão disponíveis para operar de modo conectado.

 

 

Como iniciar a implementação na propriedade?

 

O primeiro passo para se introduzir a agricultura 4.0 na propriedade é se inteirar do que existe e está disponível no mercado. Máquinas agrícolas automatizadas, drones, sensores de todo tipo e sistemas de gestão constituem parte do instrumental disponibilizado pela tecnologia para o campo e utilizado nas atividades produtivas.

 

Definindo-se a máquina e o equipamento mais adequados à produção, o próximo passo é sua aquisição. Nesse momento, é preciso buscar conhecer da melhor forma o potencial que a tecnologia oferece e partir para o passo seguinte: a capacitação da mão de obra.

 

Na verdade, esse é um dos grandes cuidados ainda necessários, uma vez que existe escassez de operadores experientes no instrumental da agricultura 4.0. No entanto, isso pode ser resolvido com treinamento, muitas vezes, obtido com os próprios fornecedores das máquinas, dos equipamentos e dos sistemas.

 

 

Quais as consequências de não se implementar a agricultura 4.0?

 

Deixar de lado a modernização que chega ao agronegócio com a agricultura 4.0 pode sair caro para o produtor, que perderá competitividade no mercado. A tecnologia chegou para facilitar o trabalho na lavoura e permitir melhores produtividades.

 

Estas, por sua vez, devem ser capazes de atender às demandas crescentes por produtos agrícolas, seja alimento, seja qualquer matéria-prima.

 

Dessa forma, as possibilidades são infinitas para a boa gestão da atividade agrícola, com a chegada da agricultura 4.0 e a tecnologia digital que vem sendo introduzida no campo. Entender essa nova realidade e enxergar suas vantagens facilita sua adoção.

 

Gostou do nosso conteúdo e quer ficar por dentro das próximas postagens? Siga as nossas páginas no Facebook e no LinkedIn.