7 dicas para você escolher o melhor fornecedor no agronegócio

 

 

6 minutos para ler
 

O sucesso do trabalho no campo depende de muitas variáveis ambientais, como clima, solo, doenças e pragas, assim como da qualidade dos equipamentos e insumos. As primeiras, você não pode escolher, apenas corrigir. Porém, a última, sim, escolhendo a melhor opção de fornecedor no agronegócio.

 

Nesse sentido, é essencial para o produtor se aproximar de seus fornecedores, cujo desempenho se apresente mais em sintonia com a parceria que deve existir. Para esse fim, algumas dicas podem orientar suas opções nessa direção.

 

Continue a leitura e conheça 7 dicas para escolher o melhor fornecedor no agronegócio.

 

 

1. Relacione as possibilidades

 

Para a maior parte dos insumos agrícolas (defensivos, fertilizantes etc.), materiais e equipamentos disponíveis no mercado, existe, quase sempre, uma boa diversidade de fornecedores. Em alguns casos, os produtos são exclusivos de determinada empresa, embora também possam ser comercializados por uma rede de estabelecimentos.

 

De toda forma, antes de escolher o fornecedor no agronegócio, é importante realizar um levantamento das possibilidades existentes e relacioná-las. Você pode fazer isso com uma simples lista ou elaborar uma planilha um pouco mais detalhada. Pode ser uma planilha simples, onde constem todos os fornecedores na primeira coluna e as características de cada um nas colunas subsequentes.

 

 

2. Avalie a reputação do fornecedor

 

Muitas vezes, o próprio mercado pode dar uma dica importante a respeito da reputação do fornecedor que está sendo avaliado. Desse modo, não deixe de ver o que os clientes estão falando sobre a experiência que tiveram ao adquirir determinado produto, ou serviço de cada fornecedor.

 

Para esse fim, pesquise notícias sobre ele e dê uma boa olhada em sites de denúncias com manifestações dos clientes. Eles costumam ser um bom termômetro quando associados às outras iniciativas de avaliação.

 

Redes sociais também podem ser uma boa referência, especialmente quando o fornecedor tem uma ou mais páginas. Colete informações, pois o importante é conhecer a reputação da empresa, mesmo que, às vezes, as manifestações possam ser um tanto exageradas. Afinal, o fornecedor será o seu parceiro para vencer os desafios da produção.

 

 

3. Verifique a qualidade dos produtos oferecidos

 

Essa é uma dica lógica, mas refere-se à parte mais objetiva de sua avaliação. Assim, avalie a qualidade dos produtos oferecidos em termos de características intrínsecas do material (composição, montagem ou o que for pertinente em cada caso), mas também de seu uso e funcionamento.

 

Considere, por exemplo, a aquisição de defensivos para o controle de pragas ou de doenças. Se forem produtos ineficazes, os danos serão irreparáveis.

 

Novamente, aqui também é importante considerar a dica anterior de ouvir clientes que já adquiriram os produtos e podem sinalizar sobre a qualidade do que compraram. O custo é uma variável importante, mas a qualidade é essencial.

 

Nesse sentido, o cuidado com a qualidade, em certos casos, deve levar em conta a possibilidade de situações futuras sem risco de se cair no velho jargão de que “o barato sai caro”. Isso porque determinadas circunstâncias não permitem trabalhar com um material ou um equipamento que não seja de confiança e de qualidade.

 

 

4. Identifique o melhor custo-benefício

 

Em qualquer negócio, nem sempre o melhor preço resulta na melhor escolha, isto é, nem sempre preço baixo e qualidade andam juntos. Por vezes, é indispensável proceder a uma avaliação da relação custo-benefício de cada caso.

 

Na escolha do fornecedor no agronegócio, também é assim, portanto, sempre considere as vantagens e os benefícios do produto quando avaliar o preço. Desse modo, você terá certeza da importância que está sendo dada a cada centavo que estiver pagando. Bons exemplos são os instrumentos de tecnologia que compõem a Agricultura 4.0.

 

Algumas situações, de fato, não exigem que se faça uso do melhor produto existente no mercado. Nesses casos, não há grandes riscos na opção pelos menores preços, mas isso não deve ser uma regra absoluta e requer a avaliação de cada situação.

 

 

5. Confira o cumprimento de prazos

 

Muitas atividades do agronegócio operam com um cronograma apertado, quer dizer, não se tem muito espaço fora de hora. Por exemplo, você precisa dispor das sementes antes das chuvas, ou poderá ter problemas com sua produtividade.

 

Dessa forma, no quesito prazos, dois aspectos são essenciais no agronegócio e precisam ser bem avaliados. Então, verifique se: a) os prazos são condizentes com as necessidades do planejamento da produção; b) os prazos oferecidos pelo fornecedor costumam ser realmente cumpridos.

 

Em todos os casos, sempre deixe claro o prazo de que você precisa e certifique-se da possibilidade de negociar os inicialmente oferecidos. Um fornecedor no agronegócio com essa flexibilidade pode ser fundamental para a produção.

 

 

6. Prefira a comunicação transparente

 

No agronegócio, como se viu, o fornecedor deve ser um parceiro, e isso significa que, para o produtor, deve ser bom operar com aquela empresa. Mas, para que ocorra uma relação do tipo ganha-ganha, é preciso que haja uma confiança recíproca e, principalmente, transparência nos contatos e nas informações fornecidas.

 

Assim, avalie se as questões levantadas são prontamente respondidas ou se a documentação por vezes requerida não é fornecida. Verifique se existem certificações e se elas são mostradas (quem é certificado anseia por dar publicidade a esse fato).

 

Observe se o fornecedor prima por demonstrar transparência, ou deixa sempre a impressão de esconder alguma coisa. Ser transparente passa segurança, que, por sua vez, gera confiança, e tudo isso é imprescindível na construção de uma relação com os fornecedores.

 

 

7. Considere o compromisso de continuidade

 

Boas relações merecem continuidade. Mas como são as manifestações do fornecedor com seus clientes? São do tipo “o que interessa é fechar a venda”? Ou procuram construir um relacionamento mais estável, mantendo-se à disposição, orientando ou fazendo recomendações?

 

Quando um fornecedor tem compromisso com seus clientes, procura estar presente. É de seu interesse que haja continuidade. Para isso, fornece contatos, informa de suas redes sociais e, sobretudo, mantém um pós-venda ativo com os clientes. Em outras palavras: ele se mostra, ao invés de se esconder.

 

Assim, procure se informar com clientes anteriores das características do fornecedor. Bons fornecedores constroem uma relação de confiança, e sempre existem boas indicações para referenciá-los.

 

Como se viu, a escolha do melhor fornecedor no agronegócio envolve alguns cuidados para que sejam escolhidos a confiança e o compromisso com os resultados de produtividade e sustentabilidade da lavoura. Nesse sentido, considere a FertiSystem como sua melhor opção e descubra um fornecedor sempre ao lado do produtor.

 

 

Gostou das informações do artigo? Então, que tal curtir a nossa página no Facebook? Assim, você poderá acompanhar as nossas postagens.